Velha Prática: Jari novamente recebe empréstimo e depois demite trabalhadores

0
585

AMAPA.NET – A empresa Jari Celulose acaba de recorrer a mesma prática já aplicada para receber empréstimo milionários do governo federal. Em 2008 o grupo recebeu R$ 170 milhões do BNDES para financiamento de plantio de eucalipto, assumindo na ocasião o compromisso de geração de emprego. Na época a empresa admitiu 800 trabalhadores, mas após receber o empréstimo, demitiu 700 empregados.

Nove anos depois a referida empresa recorre à mesma prática. Após ter a dívida refinanciada em 2016 pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Nacional (BNDS) e receber mais recursos para se reerguer novamente com a promessa de geração de emprego, a Jari acaba de demitir cerca de 500 trabalhadores.

Embora a empresa já tenha utilizado da mesma prática a demissão em massa apanhou de surpresa os moradores do Jari, trabalhadores e integrantes da bancada federal do Amapá em Brasília. Em 2016 representantes do BNDES foram até o Senado Federal informar ao Senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP) e demais parlamentares do Amapá e do Pará, bem como, ao presidente do Grupo Jari, Sérgio Amoroso, que estava aprovado o refinanciamento da Jari Celulose.

Sérgio Amoroso disse na ocasião aos parlamentares que até 2017 a planta da fábrica seria ampliada, resultando na criação de novos empregos na região do Jari onde cerca de 100 mil pessoas vivem em torno da empresa. Porém, ao que tudo indica, tudo não passou de promessa para de novo garantir empréstimo de verba pública.

Desde o ano de 82, quando o projeto foi nacionalizado o projeto praticamente foi sustentado, pelo BNDES. Entre incêndios e desvios de verbas a crise se agravou e, por óbvio, os maiores prejudicados são os trabalhadores.

No ano 2000, a fábrica foi vendida para o grupo ORSA pelo valor simbólico de 1 dólar e comprometimento de pagamento de todos os credores, além investimentos para reforma na fábrica, o que fora feito tão somente com o lucro da venda de celulose.

Em 2016 diante de uma nova crise e da possibilidade de fechamento da empresa e os impactos na vida de milhares de trabalhadores, o senador Randolfe, juntamente com os senadores Davi Alcolumbre (DEM) e João Alberti Capiberibe (PSB) foram ao BNDS, solicitar o apoio da entidade para salvar a empresa. Na ocasião os senadores explicaram a importância da recuperação da empresa que fica exatamente na divisa dos estados do Amapá e Pará.

Encontro

Durante reunião no último sábado com centenas de trabalhadores demitidos os senadores Randolfe Rodrigues (REDE-AP) e Davi Alcolumbre (DEM-AP) ficaram indignados com os fatos relatados pelos profissionais.

Com estes cidadãos sem emprego, o problema econômico e social é gravíssimo. Eu e senador Davi saímos hoje daqui com a responsabilidade de já na segunda-feira (13), irmos até a Justiça do Trabalho apelar para que a Lei se cumpra e os direitos dos trabalhadores sejam garantidos. Qualquer decisão deverá condenar uma das empresas. Não vejo como ser diferente. Também irei procurar o Ministério Público do Trabalho e solicitarei que não só acompanhe a questão, mas seja rigoroso com a empresa Jari”, pontuou Randolfe Rodrigues .

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here