Documentos da Java-Jato comprovam dinheiro da JBS para o PMDB do Amapá

0
291

AMAPA.NET – –Documentos publicados nesta terça-feira (23) pelo jornal O Estado de São Paulo (Estadão), comprovam o envio de aproximadamente R$ 500 mil reais para o PMDB do Amapá durante a campanha eleitoral de 2014, quando o partido lançou Gilvam Borges ao senado e apoiou o Waldez Góes (PDT) ao governo.

Segundo o “Estadão” o delator da JBS deu à Lava Jato detalhes e provas da divisão dos R$ 43 milhões pagos aos senadores Renan Calheiros, Jader Barbalho, Eunício Oliveira, Valdir Raupp, Eduardo Braga, Vital do Rego e Henrique Alves, a pedido de Mantega, da ‘conta-corrente’ do PT, para comprar apoio à reeleição de Dilma Roussef.

O delator entregou ainda, ao listar os valores para cada cacique do PMDB do Senado, que ameaçavam debandar da base de apoio à reeleição de Dilma, como foram pagos os valores: doações oficiais carimbadas, serviços fictícios, como pagamentos por jatos e consultorias e entregas de dinheiro vivo.

O ex-presidente do Senado Renan Calheiro, que recebeu a maior fatia do bolo, recebeu das três formas. Foram R$ 2 milhões repassados em forma de pagamentos para a GPS Comunicação e para o Ibope Inteligência Pesquisa e Consultoria. Outros R$ 4,8 milhõesforam entregues em espécie a dois emissários: Durval Rodrigues e Dário Berguer. Para o último, foram dados, segundo o delator, R$ 1 milhão “por ordem de Renan”.

O restante foi pago em doações oficiais para o PMDB de Alagoas – onde o filho Renan Filho foi eleito governador -, Sergipe, Amapá e para o PMDB Nacional, tudo “carimbado” para o senador e por ordem dele. Houve ainda doação ao PTB da Paraíba e ao PT do B Nacional, também seguinte indicação do senador.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here